segunda-feira, 21 de junho de 2010

*TESTE DE SANGUE PARA ALZHEIMER , FREQUÊNCIA EM IDOSOS*


Se não tivesse aparecido quando esta seção estava praticamente
fechada (o alerta veio de uma colaboradora da revista),
certamente seria o candidato da vez para o tópico "Destaque".
A notícia é do tipo 'parem as máquinas': uma equipe internacional
de pesquisadores anunciou um teste sanguíneo que poderá ser
usado para diagnosticar Alzheimer (veja nesta edição outra nota
sobre o assunto). Melhor: o método, dizem os idealizadores,
poderá indicar indivíduos pré-sintomáticos, o que possibilitaria
iniciar precocemente o tratamento.
O teste desenvolvido pela equipe de Tony Wyss-Coray, da Universidade
Stanford (Estados Unidos), é baseado em 18 proteínas do plasma
sanguíneo que podem dar uma 'assinatura biológica' de que o quadro
geral pode levar ao desenvolvimento dessa doença neurodegenerativa
marcada pela perda de memória e que atinge com mais frequência
IDOSOS. Outra vantagem alegada: o teste poderia diferenciar o mal
de Alzheimer de outros tipos de demência.

Os efeitos maléficos da doença de Alzheimer estão presentes muito
antes de sua manifestação. Diagnóstico e tratamento feitos antes
do aparecimento dos sintomas poderiam evitar esses danos.
O diagnóstico da doença é difícil e claro. Apenas a necrópsia dá
a resposta definitiva para a questão. Um comunicado de imprensa da
empresa Satoris, de São Francisco, no estado norte-americano da
Califórnia, diz que 60% dos casos de Alzheimer não são diagnosticados.
Nos Estados Unidos, esse percentual representaria quase 2 milhões
de pessoas.
A quem interessar possa: Wyss-Coray é co-fundador da Satoris. Sim,
o teste precisa ser reproduzido em estudos de larga escala.

(Revista: Ciência Hoje)
(Imagem da net)

3 comentários:

Denise disse...

É, o Alzeimer não tem cura, mas se pode muito fazer pra prevenir, mantendo o cérebro sempre em exercicio!
beijo!

Fernanda disse...

Olá amiga Ana!

Cá estou!
Já tens mais uma seguidora...
Como diz a Denise, não há cura para "o Alemão" (^_^)
Mas há prevenção...
Um dos melhores exercícios é usar mais que um idioma por dia, segundo o que eu sei e como sou trilingue (pelo menos) e ainda dou aulas de Inglês mesmo que só em part-time... e ainda sendo praticamente uma "menina" com 58 anos...
Estou no bom caminho!!! de certeza.

Beijinhos

Na casa do Rau

Tetê disse...

Oi Ana! Gostei da sua iniciativa com relação à Melhor Idade! Eu tenho minha mãe de 78 anos e, com 54 anos, já estou com um pezinho nela! O Alzheimer não tem cura mas pode ser prevenido e pausado! Obrigada pela visita ao Livre Pensamento! Bjks Tetê